THE ENVIRONMENT

“A terra não é uma herança dos nossos pais, mas sim um empréstimo dos nossos filhos”
Mahatma Gandhi

Nos Estados Unidos e na Europa, os problemas de contaminação começaram a aparecer a partir de 1950, momento em que se iniciou a produção de PFC’s.

Os PFC (Fluorcarbonetos | Perfluorocarbonetos) são um grupo de substâncias químicas criadas pelo homem e conhecidas pelo seu impacto negativo sobre o meio ambiente. São muitas as empresas que os utilizam para fabricar os seus produtos.

Os gases fluorados vêm sendo utilizados numa série de aplicações industriais entre as quais se contam a refrigeração e os extintores, a eletrónica, a produção de medicamentos, cosméticos e têxteis. Contudo na maioria das indústrias vão deixando de ser utilizados devido aos seus efeitos nocivos.

No setor têxtil, os PFC (Fluorcarbonetos | Perfluorocarbonetos) são substâncias artificiais que têm sido utilizadas devido à sua eficácia face à repelência da água, do azeite e da sujidade em geral.

Os processos de produção, limpeza e descarte no fim da sua vida útil convertem estes compostos numa ameaça para as pessoas, dado que as substâncias deste tipo se acumulam nos tecidos vivos, tornando-se potencialmente cancerígenos. De facto, estes compostos têm sido encontrados em animais como golfinhos, no fígado de ursos polares e inclusive no sangue humano. Além disso, os PFC podem afetar a glândula tiroide, a fertilidade ou ajudar ao crescimento de tumores em seres humanos.

Por esse motivo, em 2011 o Greenpeace (https://es.greenpeace.org/es/) começou a realizar uma análise exaustiva dos níveis de PFC em determinadas marcas têxteis, pedindo à indústria têxtil a eliminação de todas as substâncias perigosas nos seus produtos. E já são muitos os que estão a prestar-lhe atenção.

O Greenpeace revela as propriedades que definem os problemas ambientais dos PFC:

  • Elevado teor de fluor.
  • Não são biodegradáveis.
  • Muito persistentes no ambiente.

Além disso, estas moléculas têm o potencial de se espalhar facilmente nos nossos recursos hídricos como rios, lagos, pântanos ou mares e, uma vez libertados no meio ambiente, persistem durante múltiplas gerações.